CONFIANÇA...CREDIBILIDADE...DEDICAÇÃO...RESPONSABILIDADE e ÉTICA, ACIMA DE TUDO !
"O ADVOGADO É INDISPENSÁVEL À ADMINISTRAÇÃO DA JUSTIÇA" (Art. 133 da Constituição Federal de 1988)
"SE AGES CONTRA A JUSTIÇA E EU TE DEIXO AGIR, ENTÃO A INJUSTIÇA É MINHA" (Gandhi)
"O TRABALHO NÃO PODE SER UMA LEI SEM SER UM DIREITO" (V. Hugo)
"A FORÇA DO DIREITO DEVE SUPERAR O DIREITO DA FORÇA " (Rui Barbosa)

Notícias

Newsletter

Previsão do tempo

Hoje - Teresina, PI

Máx
32ºC
Min
23ºC
Parcialmente Nublado

Sábado - Teresina, PI

Máx
31ºC
Min
24ºC

Mantido júri que condenou réu por atear fogo em ex-companheira

Pena fixada em 24 anos de reclusão.   A 10ª Câmara de Direito Criminal do Tribunal de Justiça de São Paulo manteve júri que condenou réu por atear fogo em ex-companheira. Foram reconhecidas as qualificadoras de feminicídio, motivo fútil e emprego de fogo, tendo a pena sido fixada em 24 anos de reclusão, em regime inicial fechado. Consta nos autos que o homem e a vítima mantiveram união estável por cinco anos. Após o término do relacionamento surgiu uma desavença sobre a pisão do patrimônio, pois ele passou a exigir metade do valor do estabelecimento comercial da ex-companheira. Por causa disso, o réu ateou fogo na mulher e fugiu. A vítima ficou internada por 45 dias, mas não resistiu às queimaduras. O homem foi posteriormente encontrado no estado da Bahia. De acordo com o desembargador Nuevo Campos, relator da apelação, “em relação às qualificadoras do crime de homicídio, por encontrarem nos autos suficientes elementos probatórios, devem prevalecer”. Segundo ele, a qualificadora de feminicídio é compatível com as circunstâncias do crime apuradas durante a persecução penal, “uma vez que a vítima, do sexo feminino, era ex-companheira do acusado”. O magistrado ainda citou a “personalidade desajustada do agente, voltada à prática de crimes”. O julgamento teve a participação dos desembargadores Rachid Vaz de Almeida e Carlos Bueno. A decisão foi unânime.   Dia da Internacional da Mulher (8 de março) – Para marcar a data, oficializada pela ONU em 1975, o portal do TJSP publica ao longo da semana notícias de decisões relacionadas à proteção dos direitos das mulheres. Apelação nº 0000799-69.2017.8.26.0609 imprensatj@tjsp.jus.br Siga o TJSP nas redes sociais:  www.facebook.com/tjspoficial www.twitter.com/tjspoficial www.youtube.com/tjspoficial www.flickr.com/tjsp_oficial www.instagram.com/tjspoficial
08/03/2021 (00:00)
Visitas no site:  510355
© 2021 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Pressione as teclas CTRL + D para adicionar aos favoritos.